A história que contamos hoje aqui tem como protagonista Doralina Dalla Corte Magalhães, carinhosamente chamada por Dora. Ela veio de Santa Maria para Três de Maio em 1968, iniciando as atividades de doceira em meados de 1970.

Foi uma das pioneiras nesta atividade, sendo que o primeiro grande evento que fez na época foi a inauguração da agência do Banco do Brasil. Depois disto, se tornou muito conhecida. Dora trabalhou até os 85 anos e faleceu em 16 de agosto deste ano, com 86 anos.

A filha de Dora, Clisane Magalhães, conhecida por Cris, sempre ajudou a mãe na produção dos doces e salgados, e em 1991 decidiu seguir nesta profissão mesmo tendo atuado em outras áreas.

“O legado da mãe foi mais forte, e desde então me dedico a fazer cursos de aperfeiçoamento na área e levar os ensinamentos dela adiante. Eu cresci ouvindo uma frase da minha mãe e que virou um mantra para mim: ‘ao acordar, nossos problemas particulares ficavam embaixo do travesseiro, pois quem vem até nós quer fazer festa, e não pode ser recebido sem um sorriso no rosto’. Acho que por isso ela sempre estava rindo”, recorda-se, Cris.

Fonte: Portal Três de Maio

Deixe uma Resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *